Jornalismo e Mídia Ambientais: passado, presente, futuro – uma breve visão histórica

Jornalismo e Mídia Ambientais: passado, presente, futuro – uma breve visão histórica

A chamada Mídia de Massa, por sua própria função e natureza social, faz uma cobertura genérica, horizontal, sobre os diversos assuntos do interesse do público, sem se propor a dar mergulhos verticais em assuntos especializados, como os temas socioambientais. O jornalismo e a mídia ambientais surgem para preencher estas lacunas. De certa forma, são mídias complementares.

E aí, dois grandes desafios: por um lado, como capacitar o profissional na área da comunicação, seja na mídia de massa ou na mídia especializada e, compreendendo não apenas o jornalista, mas também os publicitários, relações públicas, diante das enormes complexidades da questão socioambiental, principalmente diante de um cenário de agravamento das mudanças climáticas? E, por outro, como a mídia ambiental pode financiar uma informação que o público precisa, mas não se dispõe a pagar por ela?

O que está em jogo não é meio ambiente, mas a própria sobrevivência de nossa civilização e a humanidade não está diante de meros modelos econômicos, mas diante da possibilidade do fim da civilização como a conhecemos.

Esta é apenas uma degustação do artigo escrito por Vilmar Sidnei Demamam Berna. O texto completo será publicado na revista Jornalismo Ambiental que será distribuída durante o VI CBJA.